Blogue RBE

Blogue RBE - SAPO Blogs
  1. Sobre o MILD | entrevista

    Entrevista sobre o MILD com Carlos Pinheiro, na Antena 1 (Ouvido Crítico).

  2. Guia de governança da Internet para bibliotecas | ifla

    igf-guide-for-libraries.png

    A governança da Internet é um campo complexo que abrange as regras, normas e padrões que determinam como a Internet - das conexões físicas aos programas e informações que a transmitem - funciona. Dada a crescente centralidade da internet no trabalho das bibliotecas, as bibliotecas são as principais partes interessadas.

     

    As discussões sobre governança da Internet cobrem decisões e debates em diversas áreas políticas, refletindo os interesses, valores e abordagens de uma ampla gama de partes interessadas. Embora isso seja um foco amplo, também permite uma visão muito mais inclusiva de algumas das principais questões económicas, sociais, culturais e cívicas que enfrentamos hoje. 

     

    As bibliotecas têm um grande interesse em participar neste debate. Elas confiam na internet para cumprir a sua missão de fornecer acesso à informação no dia a dia e têm um interesse de longo prazo no seu futuro como meio de organizar, partilhar e divulgar informação. 

     

    Para se envolver, é necessário um entendimento básico das questões de Governança da Internet, cobrindo tópicos que são essenciais para o trabalho das bibliotecas públicas, incluindo acesso público, censura, direitos digitais, liberdade de expressão e neutralidade da rede, entre outros. A missão das bibliotecas.

     

    Por essa razão, a IFLA elaborou um guia que resume as questões mais importantes neste campo, no contexto do cenário mais amplo de governança da Internet e das partes interessadas envolvidas na formação do mesmo. 

     

    O Guia de Governança da Internet da IFLA para Bibliotecas é composto por seis capítulos e cada novo capítulo será publicado todas as semanas a partir de 21 de janeiro de 2019.

     

    Ler mais >>

     

    Baixe o guia:

    Os capítulos serão disponibilizados abaixo: 

    Capítulo 1:  Introdução à Governança da Internet

     

    Capítulo 2: A tecnologia por trás da governança da Internet

    Data de publicação: 28 de janeiro de 2019

     

    Capítulo 3: Principais atores no cenário da governança da Internet

    Data de publicação: 4 de fevereiro de 2019

     

    Capítulo 4: Governança da Internet e Sociedades Modernas

    Data de publicação: 11 de fevereiro de 2019

     

    Capítulo 5: A Implicação Legal, Económica e de Segurança da Governança da Internet

    Data de publicação: 18 de fevereiro de 2019

     

    Capítulo 6: Direitos Humanos e Governança da Internet

    Data de publicação: 25 de fevereiro de 2019

  3. Todos os alunos precisam de ótimas bibliotecas escolares | vídeo

    Vídeo animado produzido pela Softlink Education para a campanha Great School Libraries da Associação Britânica de Bibliotecas Escolares e para a campanha australiana 'Students Need School Libraries'.

     

    Música de www.bensound.com

  4. Identidade de género, sexualidade, dogma e vida privada | artigo

    identidade de género.jpg

    Revista LER | Verão 2018

     

    Novas formas de cerceamento da liberdade de expressão e artística em matéria de sexualidade, novas e cada vez mais finas abordagens de género, legislações restritivas, repressão social da pornografia e do livre arbítrio do comportamento sexual privado, censura de conteúdos programáticos nas escolas e universidades, acusações de assédio sexual sem exigência de ónus da prova – e a lista segue. Sofremos os efeitos secundários de mudanças sociais e correções políticas necessárias ou estamos a entrar numa nova era sexualmente restritiva?

     

    Na terceira viagem ao que pensava ser a costa ocidental da Ásia, Cristóvão Colombo, talvez inspirado pela nudez das indígenas, anotou que o mundo não era afinal redondo, mas em forma de mama feminina, com o Paraíso por mamilo situado numa ilha, algures perto da atual Venezuela. Colombo ficou para a história como o descobridor da América e, progressivamente, também como o impulsionador do genocídio, estupro, tortura, comércio e repressão cultural dos povos nativos e o responsável pela primeira epidemia de sífilis de que há notícia na Europa. Se fosse hoje, Walt Whitman seria autorizado a louvá-lo como profeta («Prayer of Columbus»)? Muito provavelmente, não. Hoje, em cada vez mais cidades norte-americanas, o feriado nacional de 12 de outubro, instituído em 1932 em honra de Colombo, está a mudar de nome para Dia do Povo Indígena. Hoje, em cada vez mais editoras norte-americanas, recorre-se a sensitive readers para a leitura de originais e eventual higienizaçãodo texto quanto a eventuais ofensas a determinados grupos de leitores ou eventual revisão e inserção de texto que seja mais conforme com eles. Hoje, pelo menos metaforicamente, o mundo corre o risco de se tornar quadrado.

     

    No final do século XIX, os contemporâneos do autor de Folhas de Ervaconsideraram a sua poesia ultrajante, pornográfica e imatura e criticaram-na e censuraram-na o mais que puderam. Whitman perdeu o emprego como escriturário público, por «falta de carácter moral», e viveu grande parte da vida na pobreza, ajudado por uns quantos amigos que reconheciam a grandeza da exuberância emocional e do radicalismo estilístico da sua obra. O próprio Ralph Waldo Emerson, pensador transcendentalista que inspirou e apoiou o auto-intitulado bardo da América, aconselhou-o a expurgar do poema «Filhos de Adão» o manifesto conteúdo homo-erótico.

     

    Ler mais >>

     

  5. Tendências em jornalismo, media e tecnologia para 2019

    digital.png

    El informe “Journalism, Media and Technology Trends and Predictions 2019″ encuesta a 200 líderes digitales de todo el mundo sobre lo que creen que serán los retos y oportunidades a los que se enfrentarán el periodismo, los medios de comunicación y la tecnología este año. Este será el año en que la regulación de las empresas de plataformas tras la creciente preocupación por la desinformación, la privacidad y el poder de mercado. Algo que antes se consideraba impensable se ha convertido en “inevitable”, en palabras del jefe de Apple, Tim Cook, aunque los detalles serán confusos, difíciles de resolver y tomarán tiempo para hacerse realidad.

     

    Mientras tanto, la difusión de contenidos falsos, engañosos y extremos seguirá socavando las democracias de todo el mundo, con la polarización de las elecciones en la India, Indonesia y Europa como puntos álgidos. El periodismo seguirá transformándose por los cambios estructurales que ya han provocado importantes caídas de los ingresos publicitarios. Los editores están buscando suscripciones para compensar la diferencia, pero es probable que los límites de esto se hagan evidentes en 2019. Tomadas en conjunto, es probable que estas tendencias conduzcan a la mayor ola de despidos en empresas periodísticas en años, debilitando aún más la capacidad de los editores para exigir responsabilidades a los políticos populistas y a los poderosos líderes empresariales.

     

    Referência: Arévalo, J. (2019). Tendencias en periodismo, medios de comunicación y tecnología 2019Universo Abierto. Retrieved 22 January 2019, from https://universoabierto.org/2019/01/22/tendencias-en-periodismo-medios-de-comunicacion-y-tecnologia-2019/